Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2016 / 05 / Polícia Federal deflagra a 30ª Fase da Operação Lava Jato – Operação Vício

Polícia Federal deflagra a 30ª Fase da Operação Lava Jato – Operação Vício

24/05/2016

Curitiba/PR – A Polícia Federal deflagrou nesta manhã (24/5) a 30ª fase da Operação Lava Jato, intitulada Operação Vício. Essa fase, que conta com a participação da Receita Federal do Brasil, trata-se de investigações inseridas no esquema de corrupção e lavagem de ativos, decorrentes de contratos firmados com a PETROBRAS.

Cerca de 50 policiais federais e 10 servidores da Receita Federal cumprem 28 mandados de busca e apreensão, 2 mandados de prisão preventiva e 9 mandados de condução coercitiva, no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Em outro procedimento são cumpridos mandados para apurar pagamentos indevidos a um executivo da área internacional da Petrobrás, em contratos firmados para aquisição de navios-sondas.

As investigações desta fase consistem na análise de vários contratos e correspondentes repasses de valores não devidos, ocorridos entre empresas contratantes da PETROBRÁS e funcionários da estatal e agentes públicos e políticos.

De acordo com o que foi apurado, três grupos de empresas teriam utilizado operadores e contratos fictícios de prestação de serviços para repassar, notadamente, à Diretoria de Serviços e Engenharia e Diretoria de Abastecimento da PETROBRAS.

Aos investigados estão sendo atribuídos, dentre outros, crimes de corrupção, organização criminosa e lavagem de ativos. Os presos e o material apreendido devem ser levados ainda hoje à PF em Curitiba.

Será concedida entrevista coletiva hoje, às 10h, no auditório da Superintendência da PF em Curitiba/PR.

Link da coletiva: http://youtu.be/ajAxvLQTbvI



Comunicação Social da Polícia Federal em Curitiba/ PR
Contato: (41) 3251-7809



*A menção ao termo Vício remete à sistemática prática de corrupção por determinados funcionários da estatal e agentes políticos, que aparentam não atuar de outra forma senão através de atos lesivos ao Estado. O termo ainda remete a ideia de que alguns setores do Estado precisam passar por um processo de desintoxicação do modo corrupto de contratar, presente na ação de seus representantes.

registrado em: