Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2017 / 02 / PF investiga esquema de propinas em obra da Hidrelétrica de Belo Monte

PF investiga esquema de propinas em obra da Hidrelétrica de Belo Monte

16/02/2017

Brasília/DF – A Polícia Federal deflagrou hoje (16/2) a Operação Leviatã, para investigar esquema de pagamento de propinas a dois partidos políticos, por parte de empresas integrantes do consórcio construtor da Hidrelétrica de Belo Monte.

Policiais federais dão cumprimento a seis mandados de busca e apreensão, expedidos pelo Ministro Edson Fachin do Supremo Tribunal Federal, referentes à Inquérito instaurado a partir de provas obtidas na Operação Lava Jato. Estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão, no Rio de Janeiro/RJ, em Belém/PA e Brasília/DF, nas residências dos investigados e escritório de trabalho.

As medidas decorrem de representação formulada pela Polícia Federal, no curso de Inquérito que apura pagamento de propina a dois partidos políticos, no percentual de 1% sobre as obras civis da Hidrelétrica de Belo Monte, por parte das empresas integrantes do consórcio construtor. Entre os alvos da operação de hoje, estão os principais envolvidos no esquema de repasse de valores aos agentes políticos. Estes seriam o filho de um Senador da Republica e um ex-Senador ligado ao mesmo grupo político.

Os investigados, na medida de suas participações, poderão responder pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Devido a segredo de justiça, as informações se restringem à nota. Não haverá coletiva de imprensa.

Divisão de Comunicação Social da Polícia Federal
Contato: 61 2024-8142
imprensa@dpf.gov.br



* O nome da operação é uma referência à obra de Thomas Hobbes, chamada O Leviatã. Nessa obra, o filósofo político Hobbes afirmou que o “homem é o lobo do homem”, comparando o Estado a um ser humano artificial criado para sua própria defesa e proteção, pois se continuasse vivendo em Estado de Natureza, guiado apenas por seus instintos, não alcançaria a paz social.

registrado em: