Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Últimas / Entrevista : Diretor da ANP fala sobre sobre o Grupo de Prevenção ao Uso Indevido de Drogas

Entrevista : Diretor da ANP fala sobre sobre o Grupo de Prevenção ao Uso Indevido de Drogas

O Setor de Comunicação Social da ANP entrevista o Diretor da Academia Nacional de Polícia, DPF Marco Antonio Ribeiro Coura, acerca da constituição do Grupo de Prevenção ao Uso Indevido de Drogas – GPRED/ANP e sobre o trabalho desenvolvido pelo Departamento de Polícia Federal neste importante segmento.

ANP – O trabalho de prevenção às drogas é atribuição da Polícia Federal?

DPF Coura – O artigo 144, § 1º, II, da Constituição Federal, estabelece claramente que a Polícia Federal destina-se a prevenir e reprimir o tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins.

É cediço que a guerra contra o tráfico de drogas possui duas importantes frentes, que devem agir conjuntamente: a luta pela redução da oferta (repressão) e a luta pela diminuição da procura (prevenção).

Ademais, o Decreto n.º 7.179, de 20.05.2010, que instituiu o “Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e outras Drogas”, tem como fundamento "a integração e a articulação permanente entre as políticas e ações de saúde, assistência social, segurança pública, educação, desporto, cultura, direitos humanos, juventude, entre outras, em consonância com os pressupostos, diretrizes e objetivos da Política Nacional sobre Drogas" (art. 1.º, § 2.º).

Não resta dúvida, portanto, que o trabalho de prevenção às drogas é, sim, atribuição da Polícia Federal, como órgão integrante da segurança pública nacional.

A grande verdade é que todos os setores da sociedade, públicos e privados, devem se sentir corresponsáveis e se unir visando ao enfrentamento desse problema tão alarmante.

ANP – A Polícia Federal já tem atuado no trabalho de prevenção às drogas?

DPF Coura – Constantemente as diversas unidades da Polícia Federal são acionadas por escolas, igrejas, empresas, associações de bairro etc., que solicitam palestras acerca do assunto. E a PF tem, na medida de suas possibilidades, atendido a estas demandas.

ANP – Por que a ANP constituiu o Grupo de Prevenção ao Uso Indevido de Drogas – GPRED/ANP?

DPF Coura - A Academia Nacional de Polícia, por meio da Portaria n.º 2573/2012-ANP/DGP/DPF, de 13.09.2012, constituiu o GPRED/ANP visando à promoção de ações sócio-educativas e palestras que visem à prevenção ao uso indevido de substâncias entorpecentes e drogas afins, competindo à Coordenação-Geral de Polícia de Repressão a Entorpecentes - CGPRE a supervisão de tais ações.

ANP – É importante que a Polícia Federal trate do tema “prevenção às drogas” de forma uniforme e padronizada em todo o território nacional?

DPF Coura – Sim. Tal como ocorre com os demais trabalhos por ela desenvolvidos, é extremamente importante que a Polícia Federal tenha uma linguagem uniforme, padronizada e harmônica ao tratar desse problema tão complexo e que tem causado tantos males à nossa sociedade. Daí a necessidade de que os servidores do DPF que atuam ou que venham a atuar em tal segmento estejam devidamente preparados para tão nobre e importante missão.

Dentro desse cenário, convém salientar a importância da Academia Nacional de Polícia, considerando a sua singularidade e a sua atribuição educacional, reforçada pela presença, em seu efetivo, de técnicos em assuntos educacionais (pedagogos, sociólogos, filósofos, professores de educação física etc.), psicólogos, profissionais da área da saúde (médicos e enfermeiros) e da área de comunicação (gráficos, técnicos em recursos audiovisuais, técnicos em ensino a distância, jornalistas etc.).

Nosso propósito, portanto, é que a ANP seja um celeiro de formação de multiplicadores de prevenção ao uso indevido de drogas, compartilhando conhecimento e recursos materiais com todas as unidades do DPF, contribuindo, assim, com a ampliação dos trabalhos de prevenção em todo o território nacional, contando com o permanente acompanhamento e apoio da CGPRE.

ANP – As unidades da Polícia Federal já possuem GPRED’s locais?

DPF Coura – Autorizada pela CGPRE, a ANP solicitou a todas as Superintendências Regionais que constituíssem seus respectivos Grupos de Prevenção ao Uso Indevido de Drogas. Diversas delas já o fizeram. A ANP está muito otimista e acredita que em breve todas as Superintendências Regionais terão os seus GPRED’s devidamente constituídos, propiciando, assim, o intercâmbio de informações e de materiais didáticos.

ANP – Quais os próximos passos a serem dados pelo GPRED/ANP?

Nossa meta inicial consiste em nutrir os servidores do DPF com os conhecimentos e as técnicas necessários para que possam, de forma padronizada e harmônica, atuar na prevenção ao uso indevido de drogas em todo o território nacional.

Além das medidas já adotadas, como a disponibilização de espaço próprio, no Setor de Biblioteca da ANP, para a divulgação de materiais didáticos atinentes à prevenção ao uso de drogas; a criação do e-mail institucional gpred.anp@dpf.gov.br e a obtenção de espaço específico na homepage da ANP, nossos próximos passos consistirão na instituição de um “Curso de Prevenção ao Uso Indevido de Drogas” na modalidade “Ensino a Distância” - EAD, bem como na realização de “Cursos de Multiplicadores de Prevenção do Uso de Drogas”, coordenados pela CGPRE e destinados, em princípio, a servidores do DPF.

ANP – Como os servidores da PF têm recebido a ideia da criação dos GPRED’s no âmbito da Polícia Federal?

DPF Coura – Os servidores da Polícia Federal têm apoiado a constituição dos GPRED’s e estão dispostos a se prepararem, cada vez mais, para o exercício desse trabalho tão importante para a nossa nação.

Acreditamos que, além do excepcional e incansável trabalho desenvolvido na área repressiva, a Polícia Federal, ao avançar os seus passos na seara da prevenção, estará contribuindo, cada vez mais, para a minimização dos efeitos maléficos causados pelas drogas em nossas crianças, em nossos jovens, em nossos lares.

Ações do documento