Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Últimas / Ministro da Justiça visita a ANP na abertura do Curso de Formação do DEPEN

Ministro da Justiça visita a ANP na abertura do Curso de Formação do DEPEN

O ministro da Justiça, Eugênio Aragão, esteve nesta segunda-feira (11) na Academia Nacional de Polícia onde participou da aula inaugural do Curso de Formação Profissional (CFP) voltado para os aprovados no último concurso público realizado pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen).

O ministro da Justiça, Eugênio Aragão, participou nesta segunda-feira (11) da aula inaugural do Curso de Formação Profissional (CFP) voltado para os aprovados no último concurso público realizado pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen), nas carreiras de agente penitenciário federal, especialista em assistência penitenciária e técnico em assistência penitenciária.

Mais de 400 alunos participaram da aula na Academia Nacional de Polícia (ANP), em Brasília, que também contou com a presença do diretor-geral do Depen, Renato De Vitto, do diretor de Gestão de Pessoal da Polícia Federal, Luiz Pontel de Souza, entre outras autoridades.

Em sua saudação aos novos servidores, o ministro ressaltou a importância da realização do curso, em um momento em que o governo federal  faz um grande esforço para reestruturar os quadros do serviço público. Aragão lembrou ainda a relevância do trabalho dos servidores da área penitenciária para a garantia dos princípios básicos do Estado Democrático de Direito, como a proteção da dignidade humana e a cidadania.

“Aos novos servidores, desejo que sejam, antes de tudo, mestres em trazer de volta essas pessoas que se perderam na vida e que hoje cumprem pena. O passado de uma pessoa pertence a ela, mas o futuro pertence a toda a sociedade”, ressaltou.

Sobre o CFP

Os participantes do curso de formação foram selecionados no concurso público do Depen no ano passado, que registrou mais de 52 mil inscritos. O certame contou com diversas etapas: prova objetiva, prova discursiva, exame de aptidão física, avaliação médica, avaliação psicológica, investigação social, perícia médica (para os candidatos que se declararam deficientes) e verificação de veracidade de autodeclaração, destinada àqueles que se afirmaram negros ou pardos.

Para ingressar definitivamente no corpo de servidores do Depen, os alunos deverão frequentar o Curso de Formação Profissional, que terá duração de dez semanas e perfil multidisciplinar.

O diretor-geral do Departamento Penitenciário Nacional, Renato De Vitto, explica que o CFP 2016 foi concebido para capacitar os novos servidores de acordo com os desafios impostos pela moderna gestão penitenciária.

“Hoje, a complexidade da execução penal demanda profissionais com competências múltiplas. É preciso visar uma formação que foque tanto a manutenção de um ambiente seguro quanto a implementação das políticas públicas de reinserção social, conforme prevê a Lei de Execução Penal. No caso do sistema penitenciário federal, reconhecido pelas suas boas práticas na área de segurança máxima, o investimento em capacitação dos servidores é fundamental”, ressalta.

Após o curso de formação, os novos servidores serão lotados na sede do Depen, em Brasília, ou em uma das cinco penitenciárias federais – Catanduvas (Paraná), Mossoró (Rio Grande do Norte), Campo Grande (Mato Grosso do Sul), Porto Velho (Rondônia) e Brasília (em construção).

 

 

Fonte:www.justica.gov.br

Ações do documento