Você está aqui: Página Inicial > Imprensa > Notícias > 2019 > 12 > PF investiga esquema criminoso de trocas de moedas em empresa de segurança privada

Notícias

PF investiga esquema criminoso de trocas de moedas em empresa de segurança privada

Operação PF

PF deflagra Operação Dolos e prende 2 suspeitos de uma empresa de segurança privada que estavam trocando notas verdadeiras por falsas, para abastecer terminais eletrônicos em Recife
publicado: 06/01/2019 22h00 última modificação: 09/12/2019 10h37

Recife/PE – A Polícia Federal deflagrou, na manhã de hoje (6/12), a operação Dolos, com o objetivo de dar cumprimento a dois mandados de prisão preventiva e dois mandados de busca e apreensão, nos bairros de San Martin e Peixinhos. Na residência dos suspeitos foram encontrados significativa quantia de dinheiro legítimo (R$ 40,08 mil), com lacre de instituições bancárias e moeda que não poderiam estar em sua residência.

De acordo com as investigações, um grupo de funcionários se instalou numa empresa de segurança privada responsável por transporte de valores e, a partir dela processava o esquema criminoso. Conforme foi apurado, nos dias 31/10/2019 e 6/11/2019, um conferente de dinheiro em associação com o coordenador da tesouraria subtraíram dinheiro sob custódia da empresa e trocaram por cédulas falsas durante o processamento do numerário. Tais condutas foram registradas pelo sistema de segurança da empresa através de relatórios e filmagens.

A empresa de segurança privada obteve êxito em interceptar o lote de numerário onde haviam as notas falsas junto aos seus clientes, sem causar qualquer prejuízo, as quais seriam introduzidas em circulação através de abastecimento de equipamentos de caixas eletrônicos na região metropolitana do Recife/PE.

Terminado o cumprimento das ordens judiciais, os dois suspeitos foram levados até a Superintendência da Polícia Federal em Recife/PE, para as formalidades legais de Polícia Judiciária, onde foram autuados em flagrante pela prática contida no Artigo 289, §1º e Artigo 155, §4º, incisos II e IV, ambos do Código Penal (guardar ou colocar em circulação moeda falsa e furto qualificado com abuso de confiança mediante concurso de duas ou mais pessoas.). Caso venham a ser condenados, poderão pegar penas que variam de 3 a 20 anos de reclusão.

 

Comunicação Social da Polícia Federal em Pernambuco

Contato: (81) 2137-4076
E-mail: cs.srpe@dpf.gov.br