Você está aqui: Página Inicial > Imprensa > Notícias > 2020 > 04 - Notícias de abril de 2020 > PF investiga fraudes contra a Caixa Econômica Federal no interior do Rio de Janeiro

Notícias

PF investiga fraudes contra a Caixa Econômica Federal no interior do Rio de Janeiro

Ação PF

Funcionário da CEF, suspeito de realizar pagamentos fraudulentos de cotas do PIS, foi preso em flagrante
por publicado: 18/04/2020 11h26 última modificação: 18/04/2020 11h26

Cachoeiras de Macacu/RJ - Na tarde da sexta-feira (17/04), a Polícia Federal prendeu em flagrante um funcionário da Caixa Econômica Federal (CEF) suspeito de realizar pagamentos fraudulentos de cotas de PIS em agência bancária, no Município de Cachoeiras do Macacu/RJ.

O preso vinha sendo monitorado pelo setor de repressão a fraudes da instituição financeira e foi surpreendido por policiais federais após realizar operações identificadas como fraudulentas pela CEF. Em seu poder, além de comprovantes de transações fraudulentas, foram apreendidos mais de R$ 3 mil em dinheiro provenientes de saques de cotas PIS irregulares. Além disso, o funcionário chegou a ser filmado por câmeras de vigilância do estabelecimento realizando levantamentos e transferências de cotas PIS durante o atendimento regular a outros usuários na agência.

Os levantamentos irregulares, somente na data de ontem, ultrapassaram R$ 60 mil e com o preso foram apreendidos recibos de 1ª via de cliente de algumas das operações fraudadas. Outros documentos apreendidos apontam que em outra data nesta semana o funcionário movimentou dezenas de milhares de reais valendo-se do mesmo esquema.

Apurou-se, também, na análise preliminar que o mesmo atuava alterando senhas de cartões do benefício Bolsa Família, permitindo que os valores fossem imediatamente sacados em outra agência da CEF.

Conduzido à Delegacia de Polícia Federal em Niterói, o funcionário foi preso em flagrante delito pela prática do crime de peculato, cuja pena pode chegar a 12 anos de reclusão.

Além disso, pela dinâmica do crime e pelos documentos e objetos apreendidos no local, investiga-se a hipótese de que possa vir a integrar organização criminosa destinada a realizar fraudes em detrimento da CEF.

 

Comunicação Social da Polícia Federal no Rio de Janeiro
cs.srrj@dpf.gov.br | www.pf.gov.br
(21) 2203-4404 / 4405 / 4406 / 4407