Você está aqui: Página Inicial > Imprensa > Notícias > 2020 > 07 - Notícias de julho de 2020 > PF realiza operação Caçadores da Web para combater casos de abuso e exploração sexual infantil por meio da internet no RJ

Notícias

PF realiza operação Caçadores da Web para combater casos de abuso e exploração sexual infantil por meio da internet no RJ

Operação PF

Operação Caçadores da Web investiga usuários de rede mundial de computadores que compartilhavam imagens de abusos sexuais com crianças e adolescentes
publicado: 14/07/2020 08h48 última modificação: 14/07/2020 08h48
Arquivo PF

Arquivo PF

Rio de Janeiro/RJ - Na manhã de hoje, 14/07, a Polícia Federal deflagrou a Operação Caçadores da Web e prendeu em flagrante, um homem de 36 anos na posse de arquivos com cena de violência sexual contra crianças. O mandado de busca e apreensão, expedido pela 1ª Vara Criminal Federal, foi cumprido na residência do alvo, no bairro de Campo Grande, Zona Oeste do Rio.

 

As investigações tiveram início neste ano. Com a utilização de técnicas especiais de inteligência e cruzamento de dados, constatou-se que o investigado, além de armazenar, disponibilizava e transmitia arquivos com cenas de abuso e de exploração sexual de crianças e adolescentes, pela internet, em rede internacional.

 

É o 3º suspeito de praticar abusos contra crianças preso pela Polícia Federal do Rio de Janeiro em menos de 15 dias, tendo em vista que na última semana foram presos 2 criminosos pela prática do mesmo crime.

 

Todo o material apreendido com o preso será encaminhado para a realização de exames periciais, de forma a averiguar se ele também praticava outros crimes, como a produção dos referidos arquivos, crime previsto no 241-D do ECA - Estatuto da Criança e Adolescente - bem como de estupro de vulnerável, previsto no artigo 217-A do código penal, podendo levar a pena a ultrapassar 20 anos de prisão.

 

Comunicação Social da Polícia Federal no Rio de Janeiro

cs.srrj@dpf.gov.br | www.pf.gov.br

(21) 2203-4404 / 4405 / 4406 / 4407

 

 

***O nome da operação deve-se ao fato dos criminosos usarem a rede internacional de computadores (Web) para obter arquivos inéditos contendo cenas de violência sexual infantil com outros usuários, valendo-se de técnicas que garantem o anonimato.