Você está aqui: Página Inicial > Serviços PF > Imigração > Carteira de Registro Nacional Migratório

Carteira de Registro Nacional Migratório

por Edvaldo Evangelista Lopes publicado 23/05/2017 15h18, última modificação 18/09/2018 10h04
Documentação para registro e emissão da Carteira de Registro Nacional Migratório - CRNM

Documentos necessários  

 

Orientações Gerais sobre emissão da Carteira de Registro Nacional Migratório:

  • O processo para registro, emissão/renovação da Carteira de Registro Nacional Migratório deverá ser feito pessoalmente,  na unidade da Polícia Federal em que haja atendimento a imigrantes da circunscrição onde esteja domiciliado o requerente com autorização de residência deferida no País com fundamento em outra hipótese que não a de trabalho como marítimo.

       Verifique aqui a  Lista de circunscrição da Polícia Federal

 

  • Ao dirigir-se a uma unidade da Polícia Federal, leve consigo todos os seus documentos pessoais e a documentação correspondente ao procedimento solicitado; procure sempre apresentar um comprovante de endereço. O preenchimento equivocado do formulário, notadamente do CEP, pode atrasar o seu atendimento;

 

  • Clique aqui para entender os tipos de solicitações no preenchimento do formulário

 

  • Clique sobre os tópicos, para:

 

  1. Preenchimento do formulário;
  2. Verificar se existe agenda disponível;
  3. Reimprimir o formulário clique aqui.
  4. Reagendar seu atendimento 
  5. Para gerar GRU

   

  • A GRU poderá ser paga em qualquer instituição bancária, casas lotéricas, agências dos Correios e correspondentes bancários, obedecendo aos critérios estabelecidos para recebimento por esses correspondentes.

 

 

 

ATENÇÃO!

1. Agendamento - em virtude de haver postos de atendimentos em outras unidades que não seja nas DPF's e Delemigs, confirmar com a unidade o agendamento solicitado.

 

2. Os documentos emitidos no exterior deverão respeitar as regras de legalização ou apostilamento (conforme o caso), além de tradução, respeitados os acordos e tratados de que o Brasil seja parte (art. 68, § 3º e art. 129, § 2º do Decreto 9.199/2017).

Confira as regras especiais aqui.